Este relatório analisa os fluxos comerciais de recursos materiais e seus impactos ambientais. Ele também demonstra como as regras comerciais multilaterais e os acordos comerciais regionais podem ser usados ​​de forma proativa para promover a economia circular e mais verde e minimizar os impactos ambientais associados à extração de recursos.

    O relatório

      -

      COMÉRCIO SUSTENTÁVEL DE RECURSOS: Fluxos globais de materiais, circularidade e comércio

      Um relatório do esforço conjunto e colaborativo do Centro para o Comércio e Meio Ambiente do PNUMA e o Painel de Recursos Internacionais, publicado em 2020.

      Faça o download do relatório completo SUA PARTICIPAÇÃO FAZ A DIFERENÇA.
      Baixe a ficha informativa SUA PARTICIPAÇÃO FAZ A DIFERENÇA.
      Baixe os infográficos: Pegadas comerciaisUso global de materiais│ Infográficos completos

      O documento para discussão "Comércio sustentável de recursos: fluxos globais de materiais, circularidade e comércio" é desenvolvido em conjunto pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) Meio Ambiente e Centro para o Comércio e os votos de Painel Internacional de Recursos (IRP).

      A publicação atualiza as conclusões do IRP sobre as pegadas comerciais e se baseia no trabalho do Centro para o Meio Ambiente e o Comércio do PNUMA para oferecer recomendações de políticas com foco no papel do comércio na mudança da produção e do consumo de modelos lineares para modelos mais circulares. 

      O comércio é responsável por quantidades muito maiores de extração de material do que os fluxos de comércio direto indicam, quando contabilizando os materiais adicionais, energia, água e terra usados ​​na extração e produção de bens comercializados, mas deixados para trás como resíduos e emissões no país exportador.

      Em 2017, a necessidade de materiais para o comércio foi três vezes maior que a do comércio direto, pois mais de 35 bilhões de toneladas de recursos materiais foram extraídos globalmente para produzir 11 bilhões de toneladas de bens comercializados diretamente. Isso significa que um terço do total de 92 bilhões de toneladas de recursos materiais extraídos na economia global naquele ano foi destinado à produção de bens para o comércio.

      Tal análise pelo Painel Internacional de Recursos dos materiais incorporados no comércio revela que os processos de uso intensivo de recursos mudaram de países importadores de alta renda para países exportadores de baixa renda, com uma mudança correspondente nas cargas ambientais associadas. 

      A extração e o processamento de recursos para exportação esgota os ativos naturais, enquanto aumenta o desperdício, as emissões, a perda de biodiversidade, a degradação do solo e a poluição da água. Portanto, políticas adequadas são necessárias para abordar os impactos ambientais adversos do comércio e garantir que o comércio ajude a impulsionar a transição para uma economia circular mais justa, sustentável.

      A análise de políticas do Centro para o Meio Ambiente e o Comércio do PNUMA mostra como as regras multilaterais de comércio e os acordos comerciais regionais podem ser usados ​​proativamente para promover a economia circular e minimizar os impactos ambientais associados à extração de recursos.

      • Citação recomendada: UNEP e IRP (2020). Comércio sustentável de recursos: fluxos globais de materiais, circularidade e comércio. Programa das Nações Unidas para o Ambiente. Nairobi, Quénia

      Foto de shunya koide no Unsplash

      Sabia que?

      O comércio de recursos materiais - biomassa, combustíveis fósseis, metais e minerais - aumentou mais de 90% nas últimas duas décadas.

      Foto de Gunshe Ramchandani em pexels

      Sabia que?

      Um terço de todos os recursos materiais extraídos no mundo está vinculado à produção de bens comercializados. 

      Foto de Dominik Reiter de Pexels

      Sabia que?

      As matérias-primas usadas para extrair e produzir bens comercializados são três vezes maiores do que o volume direto de recursos materiais comercializados entre os países.

      Outros relatórios